Arquivo da tag: Ubuntu

Expandindo volume LVM em VM (VMWare) com Ubuntu 16.04

Olá Pessoal,

Neste post vamos ver como fazer para ampliar volumes LVM em máquinas virtuais em um ambiente que usa o VMWare como Hypervisor, tal que como comentado no ultimo post, VM esta com o Ubuntu 16.04 instalado.

No cenário que estou propondo vamos aumentar o tamanho de um disco que já existe, para isso edite as configurações da VM na console do vCenter da VMWare, e defina o novo tamanho do disco

ScreenHunter_164 Jun. 30 15.32_01

No exemplo, o novo tamanho do disco é 100 GB, clique em OK para aplicar.

Agora é necessário informa ao SO o novo tamanho do disco, por meio da criação de uma nova partição

Liste todos as partições existentes com o fdisk

~# fdisk -l

No exemplo o device é o /dev/sda

ScreenHunter_165 Jun. 30 15.51

Para criar uma partição execute

~# fdisk /dev/sda

Pressione “n” para criar a nova partição e em seguida “p” para uma partição primaria

ScreenHunter_168 Jun. 30 16.18

 

 

 

Em “Partition number” e necessário escolher entre os disponíveis o número do device, por /dev/sda3 ou /dev/sda4, vamos no default mesmo

Na próxima tela que temos que ter atenção, por alguma razão é necessário informar manualmente o ultimo bloco da partição caso isso não seja feito, será criada uma partição com o espaço restante da partição que já esta em uso, com mais ou menos 1024k, no exemplo o ultimo bloco é o 50329599, sendo assim o próximo bloco é o 503295600, então é digitar e pressionar ENTER para continuar

ScreenHunter_173 Jul. 07 11.52

Pronto! A partição foi criada, agora é necessário alterar o formato de ‘Linux’ para ‘Linux LVM’, para isso digite ‘t’ (type) e pressione ENTER, e informe o número do device que no nosso caso é 3. Cada tipo tem um código, tal que o código que vamos utilizar é o 8e

ScreenHunter_175 Jul. 07 11.58

 

 

Para finalizar salve a tabela de partições digitando ‘w’ e ENTER, a tabela deve ter ficado conforme abaixo:

ScreenHunter_177 Jul. 07 12.00

Agora vamos adicionar na partição dentro do Volume Group existente

Inicio o volume como o comando pvcreate

~# pvcreate /dev/sda3

Adicione o volume ao Volume Group

~# vgextend vgSO /dev/sda3

No exemplo o nome do Volume Group e vgSO, para visualizar todos os Volume Groups existentes, entre com o comando vgdisplay

O próximo passo é extender o volume lógico (LV)

~# lvextend -l 100%VG /dev/vgSO/Vol00

Vol00 neste caso é o nome do volume lógico, para visualizar todos os volumes disponíveis utilize o comando lvdisplay, o paramento -l 100%VG diz que queremos alocar todo os espaço disponível do Volume Group para o Logical Volume Vol00.

Se entramos com o comando df, vamos perceber que o tamanho da partição ainda não foi alterado

ScreenHunter_185 Jul. 11 17.25

Para finalizar é necessário utilizar o comando resize2fs para visualizar no novo tamanho do volume

~# resize2fs /dev/mapper/vgSO-Vol00

Agora sim

ScreenHunter_186 Jul. 11 17.28

É isso pessoal, espero que ajude alguém.

Configurando interface de rede no Ubuntu 16.04

Olá Pessoal,

Este é um daqueles post curtos, com assunto bem batido que você vai achar em qualquer outro lugar, uso o muito o blog para referência própria, como uso o muito o CentOS, sempre que vou utilizar o Ubuntu ou derivados do Debian fico meio perdido em algumas coisas, um destes exemplos e na hora de configurar interfaces de rede que é bem diferente que no CentOS. Estou pensando seriamente em passar a utilizar o Ubuntu, este ultima versão bem interessante e o repositório oficial tem pacotes bem mais atualizados que o repositório do CentOS 7, pretendendo encher o blog com este tipo de post durante a transição.

Editar o arquivo interfaces

~# vi /etc/network/interfaces

Caso nenhum IP tenha sido informado durante a instalação, provavelmente o arquivo vai ter essa cara:

arquivo_interfaces_ubuntu
Neste exemplo, temos duas interfaces, uma para rede publica e outra para rede privada.

Como no Centos 7, o nome das interfaces não segue o padrão eth0, eth1… ethX, para identificar o nome que o SO atribuiu as interfaces use o comando

~# ifconfig -a

No exemplo o nome da interface publica é ens160, a configuração ficou assim:

auto ens160
iface ens160 inet static
          address 200.234.99.80
          network 255.234.99.0
          netmask 255.255.255.0
          broadcast 200.234.99.255
          gateway 200.234.99.1
          dns-nameservers 8.8.8.8 8.8.4.4

A interface com de rede privada ficou com nome ens192, a conf da seguinte forma

auto ens192
iface ens192 inet static
         address 10.128.128.10
         network 10.128.128.0
         netmask 255.255.255.0
         broadcast 10.128.128.255
         up route add -net 10.0.0.0 netmask 255.0.0.0 gw 10.128.128.1

Na interface de rede privada (ens192), configurei uma rota persistente, já que eu tenho um gateway definido na interface de rede publica, na roda eu digo que todo o trafego da interface ens192 seja feito pelo gateway 10.128.128.1.

No final o arquivo ficou assim:

ScreenHunter_160 Jun. 23 16.44
Agora é só reiniciar o serviço.

~# sudo service networking restart